Uso de corticoesteroides tópicos por gestantes não parece estar associado com eventos gestacionais

O uso de corticoesteroides por gestantes não parece estar associado com eventos gestacionais como fenda orofacial, baixo peso ao nascer, parto prematuro, morte fetal, baixo índice Apgar e tipo de parto, de acordo com estudo realizado por Ching-Chi Chi, MD da Escola de Medicina da Universidade Chang Gung de Taiwan, e colegas.

O estudo incluiu 2.658 mulheres grávidas expostas a corticoesteroides tópicos e 7.246 mulheres grávidas não expostas.

Enquanto que a análise preliminar não demonstrou associação entre a exposição materna e desfechos maternos, uma análise exploratória mostrou um risco aumentado de baixo peso ao nascimento quando a quantidade utilizada de corticoesteroides potentes ou muito potentes excedeu 300 gramas durante toda a gestação, sugerem os resultados.

“Este estudo demonstrou não haver associação entre a exposição materna a corticoesteroides e a ocorrência de fenda orofacial, parto prematuro, morte fetal, baixo índice Apgar e tipo de parto”, os autores concluem. “Com este estudo e todas as evidências disponíveis levadas em consideração, o risco de baixo peso neonatal parece correlacionar-se com a quantidade da exposição a corticoesteroides tópicos.”

 

Fonte: JAMA Dermatol. Published September 4, 2013.

 

Imagens em Dermatologia: Melanoma vermelho

Adone Baroni, M.D., and Vincenzo Piccolo, M.D.

N Engl J Med 2013; 368:1536April 18, 2013

 

Uma mulher de 48 anos apresentou-se com um nódulo de pele avermelhado com uma área pigmentada azul-acinzentada com 2 anos de evolução em seu braço esquerdo (Figura A). A dermatoscopia demonstrou pigmentação avermelhada irregular difusa, regressão focal com glóbulos marrom-acinzentados (correspondendo à área com pigmentação azul-acinzentada), e um padrão vascular polimórfico difuso (Figura B). Assim que a natureza melanocítica da lesão foi esclarecida com a dermatoscopia, ela foi excisada.

O exame histopatológico confirmou o diagnóstico clínico e dermatoscópico de melanoma amelanótico, com um Breslow de 3,9mm. Após a excisão do nódulo, uma biopsia de linfonodo sentinela foi executada e melanoma metastático foi detectado. Linfadenectomia axilar foi realizada e, devido ao achado de metástases cerebrais e esqueléticas, a paciente também recebeu quimioterapia adjuvante.

Melanoma amelanótico pode parecer-se com muitas lesões de pele benignas (ex. granuloma piogênico [Figura C], angiomas [Figura D] e nevos dérmicos [Figura E]) e, por isso, é frequentemente tratado erroneamente com o uso de eletrocauterização ou vaporização por laser. Este caso ressalta a necessidade de cuidadosa diferenciação diagnóstica de nódulos avermelhados; investigação histopatológica suplementar deve sempre ser conduzida se houver suspeita de neoplasia.

 

 

Melanoma vermelho